Dom Bertilo João Morsch
Bispo auxiliar

 

BIOGRAFIA

Último de sete irmãos, Bertilo João Morsch nasceu em Sobradinho (RS) aos 7 de novembro de 1964. No ano de 1978 ingressou no Seminário São José em Santa Maria (RS). Cursou Filosofia e Teologia no Instituto de Filosofia e Teologia de Santa Maria (IFITESMA) de 1982 a 1986. Possui Mestrado em Direito Canônico pela Universidade Lateranense, de Roma, com estudos realizados de 2001 a 2003.

Aos 7 de janeiro de 1989 foi ordenado presbítero por Dom José Ivo Lorscheiter, na capela São Miguel de Pitingal, na paróquia Nossa Senhora dos Navegantes, em Sobradinho (RS).

Exerceu as funções de Vigário Paroquial em Júlio de Castilhos (RS), na paróquia Nossa Senhora da Piedade, de 1989 a 1990; Vigário Paroquial em São Pedro do Sul (RS), na paróquia São Pedro Apóstolo, de 1991 a 1993; Pároco em São Pedro do Sul (RS), na paróquia São Pedro Apóstolo, de 1994 a 2000; Pároco e Reitor do Santuário Basilica Menor Nossa Senhora Medianeira em Santa Maria, de dezembro de 2003 a abril de 2013; Diretor Espiritual no Seminário Maior Nossa Senhora Mãe do Redentor em Santa Maria, de 2005 a 2006; Referencial da Câmara Eclesiástica de Santa Maria junto ao Tribunal Eclesiástico, de 2006 a 2010. Também foi professor de Direito Canônico e Pastoral Fundamental na Faculdade Palotina (FAPAS), de 2005 a 2022: Pároco da paróquia da Ressurreição e Reitor do Seminário Maior São João Maria Vianney em Santa Maria, de abril de 2013 a 2021; Vigário Geral e Cura da Catedral Nossa Senhora Imaculada Conceição de Santa Maria em 2022.

O Papa Francisco nomeou em 17 de maio, o padre Bertilo João Morsch como bispo titular de "Bagavaliana" e auxiliar na Arquidiocese de Porto Alegre (RS).


LEMA
Propter Evangelium
(Por causa do Evangelho​)

 

BRASÃO EPISCOPAL

O escudo está pousado sobre uma cruz episcopal em ouro, ter a forma de cálice e todo o campo é azul. No centro está a cruz heráldica dourada. O chapéu da dignidade episcopal tem doze borlas verdes e é simbolo de Cristo cabeça da Igreja e dos doze apóstolos, cuja missão o bispo encontra-se intimamente associado. A cruz pastoral dourada indica que o ministério do bispo existe em referência ao ministério pastoral de Jesus e em continuidade com o mesmo. O rubi no centro da cruz pastoral lembra o fogo do Espírito Santo, bem como o sangue dos mártires e de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Cordeiro imolado (Jo 1,29.36; Ap 5,6). Também lembra o amor, o ardor missionário e o serviço ao próximo. Em formato de cálice, o escudo simboliza a comunhão com a Igreja. O azul faz referência à Nossa Senhora Medianeira, devoção pessoal do prelado, dando base ao brasão. A Cruz dourada no centro com setas apontando para quatro direções é a tradução do lema: Propter Evangelium, por causa do Evangelho é preciso ir ao encontro de todos, para que conheçam a salvação em Jesus Cristo. A flor-de-lis recorda tanto a Igreja de Santa Maria de onde o bispo é originário, quanto a Mãe de Deus, padroeira da Arquidiocese de Porto Alegre, onde é chamado a cooperar como sucessor dos apóstolos.

 

Criação: Nelson S. Pereira