Episcopado gaúcho analisa participação na primeira Assembleia online da CNBB

Na 58ª Assembleia Geral da CNBB, que iniciou na segunda-feira (12), a novidade, desta edição, não está apenas nos assuntos inéditos discutidos – como a criação do Regional Leste 2 e o novo estatuto da CNBB – mas pela modalidade encontrada para garantir a realização da Assembleia durante a pandemia do Covid 19. Em 2021, a Assembleia Geral entra para a história da CNBB por reunir os arce/bispos, secretários(as) executivos e assessores de todo o Brasil, por meio da internet, em reuniões virtuais. São 390 participantes que integram a Assembleia este ano, realizada de segunda a sexta, sempre nos turnos da manhã e tarde.
 

Sala virtual com 340 bispos.
Sala virtual com 340 bispos online.

Dom Aparecido Donizeti de Souza, bispo auxiliar de Porto Alegre, explica que é “indiscutível o fato de que a Assembleia presencial sempre foi e será momento oportuno de reencontro e convivência entre irmãos no episcopado favorecendo partilha, comunhão e fortalecimento na amizade”. Entretanto, segundo ele, é possível encontrar muitas riquezas também na realização do encontro nesta modalidade virtual. Ele destaca três, especialmente:

Dom Aparecido Donizeti de Souza.


Dom Aparecido Donizeti de Souza, bispo auxiliar de Porto Alegre, explica que é “indiscutível o fato de que a Assembleia presencial sempre foi e será momento oportuno de reencontro e convivência entre irmãos no episcopado favorecendo partilha, comunhão e fortalecimento na amizade”. Entretanto, segundo ele, é possível encontrar muitas riquezas também na realização do encontro nesta modalidade virtual. Ele destaca três, especialmente:

“Os assuntos abordados são acompanhados de forma satisfatória; A coordenação por parte da Presidência está muito boa, bem precisa e objetiva; A participação dos bispos pelo chat está trazendo ótimas contribuições para a Assembleia”, analisa Dom Aparecido.

Outra percepção do encontro virtual deste ano vem de Santa Cruz do Sul. O Bispo Diocesano, Dom Aloísio Dilli, destaca que a eficácia do encontro não ficou, de nenhuma forma, prejudicada. “A experiência de comunhão na Igreja pode muito bem acontecer também numa assembleia virtual, como estamos vivenciando, sem desmerecer, com isso, os encontros presenciais”, comenta Dom Aloísio.

“Damo-nos conta de que o essencial é o processo participativo com a disposição de quem caminha junto com os irmãos na vida e missão da Igreja, sob a ação do mesmo Espírito. O ideal é unir a intenção que busca unidade e o encontro presencial, sobretudo o celebrativo”, destaca ele.

Acompanhe a cobertura da 58ª Assembleia Gerald os Bispos do Brasil no site da CNBB.



Autor:
Patricia Damaceno (ASCOM)

Fonte:
Comunicação Regional Sul 3 da CNBB

Tags: