Padre Neimar da Rosa: veja como foi a ordenação do novo presbítero da Arquidiocese

20/11/2020

Natural de Palmeira das Missões, Neimar da Rosa, 41 anos, recebeu o Sacramento da Ordem na noite desta sexta-feira (19), na Catedral Metropolitrana, e tornou-se o mais novo sacerdote da Arquidiocese de Porto Alegre. Natural de Palmeira das Missões, Neimar teve passagem pela congregação Oblatos de São Francisco de Sales antes de ingressar como seminarista no Curso Propedêutico, no Seminário São José, em Gravataí. Neimar escolheu como lema "Aqui estou: envia-me!" (Is 6, 8)

Dom Jaime Spengler, que presidiu a celebração, destacou a necessidade de entrega ao amor do Senhor, aquele que anima e garante a sustentação na missão.

"Permanecer no amor do Senhor significa muito mais do que viver religiosamente, ou atentos a uma determinada doutrina; significa empenhar-se por viver no 'como' Jesus nos ama! Isso implica estar atentos ao Evangelho", explica Dom Jaime Spengler.

Veja a íntegra da homilia de Dom Jaime Spengler:

“Aqui estou!”

Aqui estamos para celebrar a Eucaristia e invocar sobre esse nosso irmão a força do Espírito do Senhor, tornando-o assim apto para oferecer o santo sacrifício em favor do Povo de Deus!

Todos nós presbíteros um diz respondemos “aqui estou” porque sentimos em nosso íntimo um chamado; alguém nos tocou “por amor”. Nasceu, então, no coração de cada um o desejo de responder com total disponibilidade à solicitação do Senhor: ”Permanecei no meu amor”. Isto significa muito mais do que viver religiosamente, ou atentos a uma determinada doutrina; significa empenhar-se por viver “no como” Jesus nos ama! Isso implica estar atentos ao Evangelho; “amar-nos uns aos outros, como ele nos amou”. Este amor não é abstrato, impessoal, indiferente! Ao contrário! É imperativo, normativo, decisivo, engajado, gratuito!

Viver no amor e do amor do Senhor é motivo de autêntica alegria: “digo-vos isto para que minha alegria esteja em vós e vossa alegria seja completa”. Ora, quando falta amor, se impõe o vazio, a tristeza, a indiferença.

Viver o amor e de amor gera cordialidade, alegria, disponibilidade, simplicidade, amabilidade, criatividade! Impele-nos a ir ao encontro dos necessitados de humanidade.

Permanecei no meu amor”. Nisso se expressa o núcleo de nosso empenho! É a permanência no amor que garante a direção, o foco, o caminho da vida!

O amor do Senhor é graça! “Como o Pai me amou, assim eu também vos amo”. Amor assim sustenta, conforta, impulsiona, corrige, anima, entusiasma! Compreendido, nos impulsiona a ir ao encontro de quem quer que seja! Somente quem se sente crucificado pelo amor, como o foi Jesus na cruz, é capaz de socorrer os crucificados da história com palavras e ações eficazes; é capaz de responder: “aqui estou, envia-me”.

O amor concede asas aos pés! Por isso, o amor gera a fidelidade! O fazer cotidiano não é rotina, mas oportunidade sempre nova de corresponder! Assim, os apelos do ministério se tornam oportunidade para responder com maior determinação ao amor!

Quem se sente amado, é livre! E assim, tudo se torna oportunidade para expressar o que preenche o nosso coração!

Caro filho, aqui estás!

Que tua vida seja sempre orientada pelo amor d’Aquele que um dia te chamou e que hoje te consagra! Por isso, cuida para que a chama do amor jamais se apague!

Que a tua disponibilidade nos inspire a jamais desaminar ou mostrar cansaço, cientes de que a messe é grande, mas os operários são poucos. 

Filho, não estás sozinho! Caminhemos na unidade! Somemos nossas forças, energias, disposição para que saibamos, como Igreja nesta nossa grande Porto Alegre, responder aos apelos do nosso povo que deseja “vida e vida em abundância”.

Filho, na fé cuida de mim, para que eu possa também cuidar de ti, e assim possamos crescer no amor do Senhor por todos.

Fotos: Seminarista Marto Vilaza.