A Palavra “armou tenda entre nós”

A Igreja sempre e de novo nos recorda a dignidade e a nobreza da Palavra. Ela cumpre sua missão evangelizadora sempre que se coloca na escuta de seu Senhor. Ele mesmo é a pronúncia viva do Altíssimo. Por isso, a Igreja se alimenta da Palavra, compartilhando-a com a humanidade faminta.

A experiência de encontro com a Palavra sustenta a Igreja, tornando-a sempre mais acolhedora daquilo que o Espírito tem a lhe dizer (Ap 2,7), conduzindo-a pelas estradas do mundo para cumprir sua missão.

A experiência do encontro é fundamental para a experiência cristã. Bento XVI expressou isto de forma magistral: “Ao início do ser cristão, não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com um acontecimento, com uma Pessoa que dá à vida um novo horizonte e, desta forma, o rumo decisivo”. Na base da vida cristã, está, pois, a alegria do encontro com a Palavra. Ela não é, em primeiro lugar, texto, livro, mas, uma pessoa: Jesus Cristo.

O encontro com a Palavra faz novas todas as coisas. A Sagrada Escritura em distintos momentos da história, em diversas situações e diferentes linguagens, apresenta-a como eficaz, que age, julga, separa, salva, gera e faz crescer.

A decisão, a disciplina e o método são auxílio precioso para cultivar uma salutar relação com a “Palavra que se fez carne”. Assim procedendo, somos despertados para o que significa deixar-se atingir pela Palavra, conhecê-la sempre mais, amá-la de forma resoluta e segui-la com ânimo jovial. Neste caminho, vamos percebendo que necessitamos de irmãos e irmãs. A própria Palavra põe em movimento o mecanismo da comunidade.

A comunidade é o lugar privilegiado de encontro com a Palavra. Ali vamos percebendo que ela não pertence a uma pessoa, mas se destina a pessoas que, juntas, procuram vivê-la, sem desconsiderar os defeitos, limites, fragilidades e contradições de cada um.

A Palavra “armou tenda entre nós”. Tenda é lugar de abrigo, proteção, encontro! Assim, do encontro de irmãos e irmãs que sob ela se abrigam, lendo-a, rezando-a, meditando-a e dela alimentando-se despontam as sendas para a nossa colaboração na construção do Reino de Deus e sua justiça.



Autor:
Por Dom Jaime Spengler, arcebispo metropolitano e primeiro vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Tags: